Sesau emite nota sobre assassinato na ala psiquiátrica do HB

Sesau emite nota sobre assassinato na ala psiquiátrica do HB
Nilson Cardoso, diretor do HB e a coordenadora da ala de psiquiatria Thaís Carvalho

A Secretaria Estadual de Saúde -Sesau, sobre a morte de um paciente na ala psiquiátrica do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro na noite da última terça-feira 16, antes de mais nada lamenta profundamente o ocorrido e esclarece que;

Os dois pacientes envolvidos e que estavam internados na enfermaria psiquiátrica da ala masculina estavam devidamente medicados, já haviam passado pela avaliação psiquiátrica do dia e não apresentavam nenhum relato de alteração ou agressividade na data do fato. Ambos eram monitorados pelo enfermeiro plantonista, como ocorre em todas as enfermarias.

Que por volta das 22h um dos pacientes procurou o enfermeiro para informar que havia uma pessoa morta no quarto, que se tratava de um outro paciente de 27 anos que tinha autismo e apresentava déficit mental. Não há relato de desentendimentos anteriores entre os dois.

A equipe do HB acionou a polícia civil para apurar o ocorrido, um dos pacientes foi levado para prestar depoimento e depois retornou ao hospital onde recebeu medicação e encontra-se na sala vermelha para observação. Trata-se de um paciente dependente químico e que estava internado há oito dias e com transtornos mentais associados ao uso de substâncias.

A Sesau esclarece ainda que a convivência entre os pacientes faz parte do tratamento, como mecanismo de ressocialização deste paciente para que ele possa retornar a sociedade e manter o tratamento de forma ambulatorial.

O HB possui uma enfermaria psiquiátrica com 70 leitos, e que segue as normas e protocolos de assistência a estes pacientes em relação a rotina de medicação, supervisão, e monitoramento das pessoas internadas.