POLICIA FEDERAL DEFLAGRA OPERAÇÃO NA CAPITAL PARA TIRAR DE CIRCULAÇÃO UNIVERSITÁRIOS TRAFICANTES: OPERAÇÃO REVOLUÇÃO

POLICIA FEDERAL DEFLAGRA OPERAÇÃO NA CAPITAL PARA TIRAR DE CIRCULAÇÃO UNIVERSITÁRIOS TRAFICANTES: OPERAÇÃO REVOLUÇÃO
A Policia Federal deflagrou na manhã de hoje (25) a denominada Operação Revolução, visando o combate aos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.
POLICIA FEDERAL DEFLAGRA OPERAÇÃO NA CAPITAL PARA TIRAR DE CIRCULAÇÃO UNIVERSITÁRIOS TRAFICANTES: OPERAÇÃO REVOLUÇÃO

A Policia Federal deflagrou na manhã de hoje (25) a denominada Operação Revolução, visando o combate aos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Estão sendo cumpridos 17 mandados de busca e apreensão nas cidades de Porto Velho-RO e Ariquemes, em residências de jovens de classe média, e, em sua maioria estudantes universitários, além de um mandado de prisão preventiva expedido pela Vara de Delitos Tóxicos de Porto Velho.

Trata-se de continuação das investigações apuradas no bojo da Operação Evolução, deflagrada pela PF no dia 31 de Outubro de 2018, após a apreensão de 04 encomendas enviadas via Correios contendo em seu interior substâncias alucinógenas.

Após a deflagração da Operação Evolução, a Policia Federal teve acesso ao telefone celular do principal investigado e, com autorização judicial, realizou a extração dos dados armazenados, conseguindo identificar uma rede muito bem organizada, há tempos, para a compra pela internet e através de aplicativos de mensagens instantâneas, de drogas sintéticas, sempre enviadas de forma dissimulada através dos Corrreios, as quais eram comercializadas em festas tipo “rave”.

Nesta segunda fase das investigações, a Policia Federal identificou diversas pessoas que recebiam as encomendas contendo drogas sintéticas em suas residências, que eram repassadas ao líder da organização criminosa, além de outras pessoas responsáveis pela revenda direta direta destas substâncias em Porto Velho e Ariquemes, sendo todo o lucro revertido para o principal investigado, o qual mantinha um padrão de vida fora de sua realidade financeira.

 

FONTE: ASSESSORIA PF